quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Gesto de união e gentileza

Nesta semana, fiquei triste e pensativo com uma cena que presenciei. Estava aguardando o ônibus e, no ponto de parada, havia também uma jovem e, um pouco mais adiante, um casal de adolescentes namorando. Minutos antes da chegada do ônibus, se aproximou uma senhora com idade avançada, bem debilitada, auxiliada por outra senhora. Assim que a jovem e eu percebemos, demos prioridade na fila para estas passageiras.

No momento em que as portas se abriram, sem que pudéssemos intervir, o casal de adolescentes passou à frente de todos numa pressa até agressiva, não se importando nem mesmo com as senhoras. Acredito que a pressa naquele instante fosse para garantir lugar para que os dois viajassem sentados, apesar do curto trajeto.

Bem, o intuito desta observação tão corriqueira nos dias de hoje não é o de criar polêmica sobre a atitude dos jovens. Mas o de convidar a refletir o rumo que os valores humanos estão seguindo. Pergunto: será que as palavras educação, gentileza, coerência ou qualquer outra que defina bons modos estão fora de moda? Não fazem mais parte do nosso vocabulário? O ser humano, ao invés de evoluir, parece que está regredindo cada vez mais, descendo a níveis inferiores de valores.

Dias atrás, acompanhei pela televisão um vídeo que registrava uma manada de elefantes na margem de um lago, bebendo água e se refrescando do calor. Quando um filhote, ao entrar na água, não consegue retornar à margem, prestes a se afogar, conta com a iniciativa dos animais em um gesto de união, uma espécie de corrente entre trombas e patas, conseguindo, assim, fazer o resgate do filhote com sucesso.



A natureza é sábia, está sempre pronta a ensinar grandes lições, compartilhando ensinamentos que podem ser úteis. Precisamos usar a nossa inteligência de maneira ampla, menos individualista e egoísta e, como resultado, mais altruísta.

Não podemos esquecer que habitamos uma grande casa e que ela possui seus alicerces na coletividade, cedida para vivermos com nossa espécie de maneira digna onde todos, jovens e idosos, se respeitam e se auxiliam mutuamente. A propósito, existe um poema de nosso mestre que diz:

“Precioso é o homem que, em primeiro lugar, pensa no caminho e sempre quer ajudar o mundo”

Luz a todos!

Ministro José Carlos Alves
Templo Luz do Oriente
Núcleo de SCS, SP

Um comentário:

  1. Tatiane Angelelli Nishiwaki12 de setembro de 2010 19:08

    Gostaria de parabenizá-los por este trabalho. Fico muito feliz por podermos contribuir também para levar Luz e Amor aos lares e às pessoas virtualmente, compartilhando experiências e palavras positivas que nos tornem melhores e nos façam evoluir a cada dia.

    Felicidades a todos!

    ResponderExcluir